Edição Espírito SantoRealização:
Sem categoria 25.01.2018

Os capixabas mostraram que têm espírito empreendedor e submeteram 1272 ideias no programa Sinapse da Inovação – segundo maior número de ideias inscritas em toda a história do programa, que existe desde 2008 em Santa Catarina e chegou pela primeira vez ao Espírito Santo em 2017, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Mas você deve estar se perguntando: como selecionar, dentre as 1272 ideias, as 50 mais promissoras?! O desafio é grande! Todos os critérios e o passo a passo das avaliações estão dispostos no edital, mas preparamos esse post especial para você ficar por dentro de como funciona o processo de seleção e avaliação do Sinapse da Inovação Espírito Santo. Tire 5 minutinhos do seu tempo e vem com a gente!

 

A seleção dos avaliadores

O primeiro passo para que a avaliação aconteça é selecionar bons avaliadores, especialistas nos setores de aplicação do edital do programa. No início de 2017, o Sinapse realizou cinco workshops (São Mateus, Colatina, Linhares, Vitória e Cachoeiro de Itapemirim) para a apresentação do programa às instituições capixabas, somando 215 participantes, de 106 instituições entre órgãos do governo, incubadoras, ICTI’s, empresas e entidades de apoio.
As instituições tiveram a oportunidade de indicar especialistas para formarem o comitê de avaliação do programa, durante os eventos e posteriormente de forma online. Concomitantemente, a Equipe Sinapse fez a seleção de seus melhores avaliadores que atuam nas edições catarinenses do programa, para incluir no grupo de especialistas alguns avaliadores com experiência em seu processo de avaliações.

 

Para ser um Avaliador Sinapse, o especialista tem seu currículo analisado pelo Comitê Gestor do programa, que homologa aqueles com: (1) comprovada capacidade técnica; (2) experiência de mercado; (3) comprometimento em trabalhos anteriores; (4) qualidade dos feedbacks oferecidos aos empreendedores.
Os avaliadores são alocados para análise de projetos dependendo de sua especialidade e temática da ideia submetida. Se o avaliador “A” é especialista em Gestão, projetos voltados à temática serão alocados a ele.

 

A definição dos critérios de avaliação

A metodologia de avaliação do Sinapse foi desenvolvida a partir de estudos realizados com base em diversos mecanismos internacionais de avaliação e seleção de ideias e vem sendo aprimorada há dez anos, desde sua primeira edição em 2008. A cada nova edição, os critérios são reanalisados, com base nos feedbacks de avaliadores e empreendedores, além da inclusão de novas tendências indicadas por estudos.

 

Garantindo o alinhamento de critérios entre os avaliadores

Antes de realizar a avaliação, cada avaliador participa de capacitações, a fim de compreender e alinhar os critérios que serão considerados em cada etapa da metodologia Sinapse. As capacitações, assim como a dos empreendedores, acontecem presencialmente ou de forma online, por meio de vídeos acompanhados de uma apostila com orientações.

 

 

1272 ideias submetidas… e agora?!

Cada ideia submetida no programa conta com a avaliação de dois especialistas, um do ES e outro de SC, que não tenham vínculo com a instituição de origem do proponente, e que atribuem uma nota e um parecer escrito sobre o projeto. Caso a nota dos dois avaliadores possuam uma discrepância de 20% ou mais, um terceiro avaliador irá atuar como árbitro, de modo a garantir que nenhum projeto seja prejudicado.

As 1272 ideias submetidas passaram por um funil composto pelas 3 fases do programa:

Fase 1: Ideia Inovadora
Fase 2: Projeto de Empreendimento
Fase 3: Projeto de Fomento

 

Fase 1: Ideia inovadora

A primeira fase do programa é considerada “pré-qualificatória”, na qual são concedidas capacitações aos candidatos, visando preparação para as fases II e III. Dessa forma, mesmo que a ideia não seja selecionada para a próxima fase, os integrantes da equipe passam por capacitações online que visam orientar o empreendedor acerca do programa Sinapse e também sobre temas como Proposta de Valor, Inovação, Empreendedorismo, Design Thinking, Lean startup, Pitch, Como ser mais criativo, Como formar uma equipe de sucesso, entre outras.

A iniciativa de qualificar durante todas as fases do Sinapse é positiva, pois impacta diretamente um dos objetivos do programa: estimular o aumento da quantidade e qualidade de propostas submetidas aos ambientes de inovação (incubadoras, aceleradoras, espaços de coworking, etc.), por parte das empresas capixabas de base tecnológica.

Existem quatro critérios para a avaliação das ideias submetidas na primeira fase do programa:

Por fim, a pontuação da ideia é obtida pelo produto da nota do potencial de inovação pelo potencial de mercado, somadas as notas de maturidade da proposta e do perfil da equipe empreendedora. Ou seja:

Ao fim da primeira fase, as 300 ideias que obtiveram as maiores notas são selecionadas. Muitos empreendedores submetem mais de uma ideia na plataforma Sinapse. Assim, caso o proponente tenha mais de uma ideia com nota suficiente para ser aprovada, é selecionada para a fase de Projeto de Empreendimento aquela que tiver obtido a maior pontuação.

 

Fase 2: Projeto de Empreendimento

A segunda etapa do Sinapse da Inovação exige um maior detalhamento sobre o plano de execução da ideia proposta pelos participantes. Ao fim desta etapa, somente 150 projetos continuam na disputa pela subvenção.

O Projeto de Empreendimento traduz-se em um plano para a implementação do negócio do proponente. Assim, por meio da apresentação de fundamentos técnico-científicos e também mercadológicos do produto ou serviço, é possível avaliar o potencial e a viabilidade da ideia submetida.

Para muitos empreendedores, esse é o primeiro plano de negócios criado acima da ideia. Pensando nisso, o Sinapse da Inovação oferece às 300 equipes participantes da fase 2, uma gama de capacitações criadas por especialistas a fim de auxiliar na construção do projeto de empreendimento. Entre elas, estão:

• Palestra Introdutória sobre o Projeto de Empreendimento
• O Modelo Sinapse da Inovação
• Minicurso de CANVAS
• Tecnologia e Inovação
• Desenvolvimento de Produtos Inovadores
• Estratégia de Mercado
• Organização Empresarial e Gestão
• Captação de Investimentos
• Formação de uma Equipe Empreendedora, entre outros materiais complementares.

Além dos conteúdos online, a Equipe Sinapse proporcionou um evento de capacitação presencial que contou com a presença de quase 600 empreendedores.

 

 

O que a equipe de avaliadores Sinapse espera durante a seleção, é encontrar projetos de empreendimento que demonstrem potencial, inovação e viabilidade de se concretizar. Para tal, os avaliadores tem como base a Metodologia Sinapse para o desenvolvimento de novos negócios em 6 vertentes:

 

Para atribuição da nota, a metodologia Sinapse leva em consideração os seguintes critérios:

 

A pontuação da segunda fase é obtida pela multiplicação dos três critérios, em que os dois primeiros fornecem o potencial do negócio e o terceiro, o fator de risco, é um redutor que leva em conta a probabilidade de o negócio, mesmo tendo potencial, não resultar em sucesso. Dessa forma, a pontuação 1,0 significa máxima possibilidade de sucesso.

 

Selecionados os 150 projetos com as maiores notas, seguimos para a Fase III!

 

Fase 3: Projeto de Fomento

A última etapa do funil consiste na submissão de um projeto de fomento. Mas o que é isso?
O objetivo do Projeto de Fomento é planejar as principais atividades e desembolsos que a empresa efetuará na etapa de Pré-incubação do programa para desenvolver seu produto e seu negócio. Dessa forma, empreendedor deverá desenvolver um planejamento para os meses de pré-incubação respondendo às seguintes perguntas:

 

 

Dessa forma, o julgamento dos avaliadores dependerá dos seguintes critérios:

 

A seleção dos 50 aprovados depende da consistência de seu Plano de Aplicação dos Recursos. É muito importante atentar aos itens que são financiáveis pelo programa e aos que não são, para que o projeto não seja prejudicado.

 

Por fim, a nota final no programa é dada pela soma das notas da fase II e III divididas por 2.
Agora, os 50 projetos contemplados tem um período para formalizar suas empresas e receberem a subvenção, que pode chegar a R$ 50 mil por projeto. Na sequência, durante seis meses, passarão por um processo de pré-incubação com suporte e capacitação para transformar suas ideias em negócios de sucesso.

 

 

Feedback aos empreendedores

Vale a pena ressaltar que os pareceres escritos pelos avaliadores são disponibilizados via e-mail para os proponentes que solicitam o feedback, conforme previsto no edital. A Equipe Sinapse acredita que as observações feitas sobre dos projetos podem servir de insumo para a evolução da equipe e desenvolvimento do produto ou serviço, mesmo que a equipe não seja contemplada pelo programa.
(Caso você tenha participado do programa e ainda não solicitou seu feedback, peça para o proponente da sua ideia enviar um e-mail para o sinapse.es@sinapsedainovacao.com.br , com a solicitação e identificação do nome do projeto submetido).

 

Recursos

O Edital que rege o programa possibilita o pedido de recurso nas fases II e III. O proponente pode solicitar, no prazo indicado, o parecer com as justificativas apresentadas pelos avaliadores, podendo solicitar o recurso caso julgue necessário. Todos os recursos são analisados pelo Comitê Gestor do programa para a homologação do resultado final.

 

Outras oportunidades

Se você tem alguma crítica, sugestão ou gostaria de fazer parte da comunidade de avaliadores do Sinapse da Inovação, entre em contato com nossa equipe pelo e-mail sinapse.es@sinapsedainovacao.com.br

 

Também quero selecionar IDEIAS INOVADORAS

Gostou da metodologia e quer aplicar no seu estado, setor ou empresa para atrair ideias inovadoras? Clique aqui e receba mais informações sobre o programa.

 

Equipe Sinapse da Inovação

Sem categoria 11.01.2018

A lista final com os selecionados já está disponível

 

Depois de receber mais de 1200 propostas de empreendimentos, o Programa Sinapse da Inovação – Conexão Espírito Santo, finalmente chegou à lista final homologada, disponível no site da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) (https://fapes.es.gov.br/) e também da Fundação Certi (http://www.certi.org.br/) , que trouxe o projeto de Santa Catarina para o Estado.

Além do apoio financeiro da Fapes, as futuras empresas de sucesso também vão contar com o suporte do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae/ES), onde serão atendidas com consultorias durante um ano, para que cada ideia vire e se torne uma startup e seja de fato consolidada.

O Sinapse contribuiu para o estabelecimento da ponte entre academia e indústria no Espírito Santo, já que muitas das ideias vieram de pessoas ainda na universidade, tanto de cursos de graduação como de pós-graduação.

O Programa

O Sinapse da Inovação visa identificar ideias inovadoras e com potencial de se tornarem negócios de sucesso, dando suporte necessário à estruturação da empresa e ao aperfeiçoamento do produto ou serviço inovador.

O programa está sendo desenvolvido pela Fapes, autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e também pela Fundação Certi. “Este programa já funciona em outros Estados e por isso trouxemos para o Espírito Santo, com o objetivo de atender amplamente às tecnologias capixabas. Queremos a diversidade econômica por meio da tecnologia. O Sinapse promove a cultura empreendedora em todos os níveis”, destacou o diretor-presidente da Fapes, José Antônio Bof Buffon.

Retrospectiva do Si
napse

No total, 1272 ideias inovadoras foram submetidas no portal do Sinapse da Inovação, em 2017, e mais de 5 mil empreendedores de 57 municípios do Estado foram capacitados na primeira fase do programa, com especialistas da Fundação Certi, de Santa Catarina, do Sebrae e outros parceiros. Este foi o segundo maior número de ideias submetidas na história do Sinapse da Inovação, desde sua criação em 2008, em Santa Catarina.

Em setembro do ano passado, 300 ideias foram aprovadas para a Fase 2. Estes selecionados tiveram que submeter um projeto de empreendimento, em que foram avaliados até chegar a terceira fase de seleção. Já em meados de novembro, os autores das ideias submeteram o projeto de fomento, concretizando a Fase 3.

Funcionamento

Na primeira fase, os interessados apresentaram suas ideias de negócio e a equipe de trabalho. O objetivo foi verificar se a ideia submetida era inovadora e se traz benefícios para a região e o seu potencial de mercado. Passam para a segunda fase 300 propostas, e os selecionados elaboraram um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo com o objetivo de demonstrar as chances da ideia gerar um bom negócio.

A terceira fase – pela qual passaram 150 propostas – consistiu no desenvolvimento de um projeto de fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de execução do projeto. Ao longo de todas as etapas foram oferecidas capacitações para auxiliar o empreendedor.

Agora na final, todos os selecionados vão receber um aporte financeiro da Fapes, além de serviços técnicos do Sebrae. Durante seis meses, essas empresas passarão por um processo de pré-incubação com suporte e capacitação para transformar suas ideias em negócios de sucesso.

 

Informações à Imprensa

Assessoria de comunicação da Fapes
Palloma Spala/ Fernanda Magalhães
(27) 3636-1867
comunicacao@fapes.es.gov.br

Sem categoria 13.12.2017

São 40 ideias de empreendimentos que irão receber o apoio financeiro de R$ 50 mil reais

Após seis meses de lançamento e três fases repletas de capacitações e workshops, o programa Sinapse da Inovação chega à seleção final, e divulga, nesta quinta-feira (14), as 40 ideias de projetos que serão contemplados com até R$ 50 mil em subvenção do Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

O resultado final e homologado, será divulgado no dia 10 de janeiro de 2018, após prazo de recursos. No total foram mais de 1.200 ideias, nas quais seus proponentes passaram por três fases com capacitações, workshops e ações relacionadas ao sucesso de uma startup, com especialistas de diversas áreas abordadas nestes eventos.

O Sinapse da Inovação está sendo desenvolvido pela Fapes, autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e também pela Fundação Certi. “Este programa já funciona em outros Estados e por isso trouxemos para o Espírito Santo, com o objetivo de atender amplamente às tecnologias capixabas. Queremos a diversidade econômica por meio da tecnologia. O Sinapse promove a cultura empreendedora em todos os níveis”, destacou o diretor-presidente da Fapes, José Antônio Bof Buffon.

Retrospectiva

No total, 1.272 ideias inovadoras foram submetidas no portal e mais de 5 mil empreendedores, de 57 municípios do Estado, foram capacitados na primeira fase do programa. Este foi o segundo maior número de ideias submetidas na história do Sinapse da Inovação, desde sua criação em 2008, em Santa Catarina.

No início de setembro, 300 ideias foram aprovadas para a Fase 2. Estes selecionados tiveram que submeter um projeto de empreendimento, em que foram avaliados até chegar a terceira fase de seleção. Já em meados de novembro, os autores das ideias submeteram o projeto de fomento, concretizando a Fase 3.  

Sem categoria 09.11.2017

Falta pouco para os capixabas conhecerem os finalistas que serão contemplados com R$ 50 mil do Programa Sinapse da Inovação para desenvolverem seus negócios. Depois de receber mais de 1,2 mil ideias de todas as regiões do estado, o programa chega neste mês à sua terceira e última fase de seleção.

Desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), com o apoio da Fundação CERTI e do Sebrae/ES, o Sinapse da Inovação reuniu, nesta segunda-feira, 6/11, os autores dos 150 projetos selecionados para a Fase 3.

Os empreendedores participaram de três palestras e dinâmicas com os mentores Carlos Eduardo Bizzotto, Tony Chierighini e Gustavo Canova, da Fundação CERTI. Ao final de um dia de trabalho, os empreendedores apresentaram seus negócios para os demais empreendedores, além dos especialistas da Fundação CERTI, e membros da Fapes, Sebrae, UCL e Bandes, que também acompanharam o Workshop.

As equipes receberam também as diretrizes para as próximas etapas do programa e uma palestra com o representante do  SEBRAETEC, oportunidade disponibilizada pelo Sebrae Espírito Santo para auxiliar no desenvolvimento das empresas.

“O evento foi essencial para que os empreendedores pudessem rever seus negócios, se colocarem no lugar de seus clientes e modelarem soluções de modo a obter um maior potencial de sucesso no mercado”, destacou o diretor-presidente da Fapes, José Antônio Bof Buffon.

Os autores das ideias aprovadas para a Fase 3 deverão submeter um projeto de fomento entre os dias 06 a 20/11. Durante a nova fase, as equipes terão acesso a capacitações com especialistas acerca de diversos pontos essenciais para o sucesso de uma startup.

Ao fim da última fase, até 40 ideias serão contempladas e receberão R$ 50 mil em subvenção da Fapes, benefícios de instituições parceiras do programa e suporte para o desenvolvimento de seus produtos e negócio. O resultado final será divulgado no dia 10/01/2018.

Impactos gerados

O Sinapse da Inovação está sendo desenvolvido pela Fapes, autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e também pela Fundação Certi– Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras.  A Fapes tem como atribuições a operacionalização do apoio institucional, financeiro e técnico a programas e projetos de promoção do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação às instituições públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação.

Com poucos meses de operação, o Sinapse da Inovação Espírito Santo já envolveu e capacitou mais de 5 mil cidadãos capixabas, de 57 municípios. O Estado atingiu o segundo maior número de ideias submetidas na história do programa, realizado também nos estados de Santa Catarina e Amazonas.

Confira algumas fotos do evento:

Sem categoria 09.11.2017

O Sinapse da Inovação está desenvolvendo uma série de ações para promover as empresas participantes do programa. Isto porque o Sinapse busca agregar valor aos empreendedores participantes, não somente pela divulgação dos seus respectivos projetos no portal, pelas capacitações online e presenciais, pelo blog e pelos demais meios, mas, também, pela conexão entre os projetos sinápticos e os parceiros do ecossistema de inovação local.

O Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) é um parceiro-investidor e possui diversas linhas de fundos de investimento para empresas com perfis como algumas das participantes do Sinapse da Inovação e, por isso, tem o interesse em conhecer os potenciais empreendedores e seus respectivos projetos para possíveis relacionamentos.

Nesta última terça (07), 15 empresas sinápticas selecionadas pelo Bandes se apresentaram em uma reunião fechada, no auditório do banco. Os projetos apresentados subdividiram-se entre as seguintes temáticas: Automação (3), Biotecnologia (4), Eletroeletrônica (2), Gestão (1), Química e Materiais (1), Tecnologias Sociais (2) e TIC (2).

Houveram os pitches e, em seguida, rodadas de feedbacks e perguntas, com duração total de 10 minutos para cada projeto. Os empreendedores foram avaliados por uma banca de especialistas, composta por agentes do Bandes e pela aceleradora Start You Up, que fizeram perguntas sobre os negócios. Ao todo, os projetos pretendem captar cerca 5,5 milhões de reais em recursos para o desenvolvimento dos produtos e serviços inovadores.

Por fim, os empreendedores também puderam interagir com outras empresas e trocar experiências para o aprimoramento de seus negócios. Esta foi a primeira rodada de apresentação ao Bandes, que objetivou conhecer as empresas sinápticas e estreitar o relacionamento entre os empreendedores e os agentes do banco. Cerca de dois dos projetos serão selecionados para nova apresentação no Demoday do Banco no próximo dia (24). O evento contará com fundos de investimento nacionais e convidados.

Workshop Sinapse – Construção de Projetos Vencedores

No dia anterior (6), houve uma preparação aos empreendedores para a elaboração de pitches afim de se apresentarem a potenciais investidores. A atividade ocorreu durante uma das dinâmicas do Workshop Sinapse – Construção de Projetos Vencedores. Ao longo do dia, membros da Fapes, Sebrae, Fundação Certi, UCL e Bandes acompanharam o Workshop.

 

Empresas que apresentaram seus pitches ao BANDES através da Sinapse.

Sem categoria 11.10.2017

Depois de receber mais de 1,2 mil ideias de capixabas com vontade de empreender, o programa Sinapse da Inovação – desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) – chega a sua 3ª fase com 150 ideias selecionadas.

No início de setembro, 300 ideias foram aprovadas, cujo seus proponentes foram capacitados por especialistas sobre diversos temas para o sucesso de uma startup. Estes selecionados tiveram que submeter um novo projeto de empreendimento, em que foram novamente avaliados até chegar a esta terceira fase de seleção.

Por fim, serão 40 projetos contemplados com até R$ 50 mil em subvenção da Fapes e suporte para o desenvolvimento de seus produtos e negócio. O resultado final será divulgado no dia 10 de janeiro de 2018. “O Sinapse é um programa que já funciona em outros Estados e por isso trouxemos para cá para atender amplamente às tecnologias capixabas. Queremos a diversidade econômica por meio da tecnologia. O sinapse promove a cultura empreendedora em todos os níveis”, destacou o diretor-presidente da Fapes, José Antônio Bof Buffon.

Os autores das ideias aprovadas para a Fase 3 deverão submeter um projeto de fomento entre os dias 06 a 20/11. Durante a nova fase, as equipes terão acesso a capacitações com especialistas acerca de diversos pontos essenciais para o sucesso de uma startup.

Confira aqui a lista das ideias selecionadas para a Fase 3 do programa.

 

Impactos gerados

 

O Sinapse da Inovação está sendo desenvolvido pela Fapes, autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e também pela Fundação Certi– Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras.  A Fapes tem como atribuições a operacionalização do apoio institucional, financeiro e técnico a programas e projetos de promoção do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação às instituições públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação.

Com poucos meses de operação, o Sinapse da Inovação Espírito Santo já envolveu e capacitou mais de 5 mil cidadãos capixabas, de 57 municípios. O Estado atingiu o segundo maior número de ideias submetidas na história do programa, realizado também nos estados de Santa Catarina e Amazonas.

 

Perfil dos projetos aprovados

 

Confira o infográfico com o perfil dos projetos selecionados para a terceira fase do programa:

 

 

Informações à Imprensa

Assessoria de comunicação da Fapes

Palloma Spala/ Fernanda Magalhães

(27) 3636-1867

comunicacao@fapes.es.gov.br

Sem categoria 04.09.2017

Na última quinta-feira (31), aconteceu no cineteatro da Universidade Vila Velha (UVV), o primeiro evento de capacitação presencial do Sinapse da Inovação Espírito Santo, que reuniu empreendedores das equipes das 300 ideias selecionadas para a fase 2 do programa.

Com mais de 600 participantes, o evento contou com a presença do diretor presidente da Fapes, José Antônio Bof Buffon, da sub secretária da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), Camila Dalla, além da equipe da Fundação Certi. “Isso é um trabalho que a gente já vem realizando a algum tempo, pois queremos a diversidade econômica por meio da tecnologia. O sinapse promove a cultura empreendedora em todos os níveis”, destaca a sub secretária da Secti.

Na ocasião, os coordenadores do Sinapse da Inovação Espírito Santo, Antônio Rogério de Souza e Fernanda Konradt de Campos, orientaram os empreendedores na formulação de seus projetos e tiraram dúvidas a respeito do processo.

Para o empreendedor Henrique Fiorot, o Sinapse é uma oportunidade de estar levando para frente ideias que ele e a equipe já tinham em mente. “A capacitação foi muito esclarecedora porque permitiu que a gente desenvolvesse um modelo de negócio que a gente ainda não tinha pensado. A parte técnica nós temos bem difundida, mas esta outra questão ainda faltava para nos informamos mais”, destaca o empreendedor que é também engenheiro de produção.

 

Evento com parceiros

Além do evento com os empreendedores, aconteceu também no mesmo dia, um evento na Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), com instituições parceiras do programa para a apresentação de resultados de sua primeira fase.

De acordo com o diretor da Fapes, José Antônio Bof Buffon, o encontro contribuiu para a interação das instituições que trabalham com inovação e empreendedorismo no Estado, para o fortalecimento desta comunidade e também confirmou a transparência na governança do programa. “A reunião é uma prestação de contas. O Sinapse é um programa já testado, e trouxemos para cá para que possa atender amplamente às tecnologias capixabas, com o apoio de outras secretarias”, destaca o diretor presidente.

Próxima fase

As 300 ideias que seguem para próxima fase são das temáticas: Tecnologia da Informação e Comunicação (69); Tecnologias Sociais (66); Automação (46); Gestão (39); Biotecnologia (31); Química e Materiais (28) e Eletroeletrônica (21). As propostas foram avaliadas por 57 profissionais vinculados às instituições parceiras do programa, sendo 28 avaliadores do Espírito Santo e 29 de Santa Catarina.

Na Fase 2, os 300 proponentes dos projetos serão capacitados por especialistas sobre diversos temas para o sucesso de uma startup, como a captação de investimento, desenvolvimento do produto, formação da equipe empreendedora, modelo de negócios, gestão e estratégia empresarial, inovação e tecnologia, dentre outros.

Os selecionados devem agora submeter um projeto de empreendimento até segunda-feira (04), onde serão novamente avaliados, restando apenas 150 propostas para a terceira e última fase da etapa de seleção do programa. Por fim, serão 40 projetos contemplados com até R$ 50 mil em subvenção da Fapes e suporte para o desenvolvimento de seus produtos e negócio. O resultado final será divulgado no dia 10 de janeiro de 2018.

Confira aqui a lista das ideias selecionadas para a Fase 2 do programa.

Impactos gerados

O Sinapse da Inovação está sendo desenvolvido pela Fapes, autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e também pela Fundação Certi– Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras.  A Fapes tem como atribuições a operacionalização do apoio institucional, financeiro e técnico a programas e projetos de promoção do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação às instituições públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação.

Com poucos meses de operação, o Sinapse da Inovação Espírito Santo já envolveu e capacitou mais de 5 mil cidadãos capixabas, de 57 municípios. O Estado atingiu o segundo maior número de ideias submetidas na história do programa, realizado também nos estados de Santa Catarina e Amazonas.

 

 

Notícia, Sem categoria 18.08.2017

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) disponibilizou no site (www.fapes.es.gov.br) a lista com as 300 ideias aprovadas para a segunda fase do Programa Sinapse da Inovação. Com quase 1300 propostas recebidas, o Estado atingiu o segundo maior número de ideias submetidas na história do programa, realizado também nos estados de Santa Catarina e Amazonas. Confira aqui a lista das aprovadas.

As 300 ideias que seguem para próxima fase são das temáticas: Tecnologia da Informação e Comunicação (69); Tecnologias Sociais (66); Automação (46); Gestão (39); Biotecnologia (31); Química e Materiais (28) e Eletroeletrônica (21).

O objetivo do Sinapse é estimular a cultura da inovação no Espírito Santo, induzir o empreendedorismo inovador e promover a aproximação entre universidades e o mundo dos negócios. “É impressão dominante no ecossistema estadual de inovação, o Sinapse Espírito Santo tem sido um relevante fator para a mobilização da comunidade de inovação estadual”, destacou o diretor presidente da Fapes, José Antônio Bof Buffon.

As propostas foram avaliadas por 57 profissionais vinculados às instituições parceiras do programa, sendo 28 avaliadores do Espírito Santo e 29 de Santa Catarina. Os 300 proponentes dos projetos serão capacitados por especialistas sobre diversos temas para o sucesso de uma startup, como a captação de investimento, desenvolvimento do produto, formação da equipe empreendedora, modelo de negócios, gestão e estratégia empresarial, inovação e tecnologia, dentre outros.

Os selecionados devem agora submeter um projeto de empreendimento até o dia 4 de setembro, onde serão novamente avaliados, restando apenas 150 propostas para a terceira e última fase da etapa de seleção do programa. Por fim, serão 40 projetos contemplados com até R$ 50 mil em subvenção da Fapes e suporte para o desenvolvimento de seus produtos e negócio. O resultado final será divulgado no dia 10 de janeiro de 2018.

 

A iniciativa

O Sinapse da Inovação está sendo desenvolvido pela Fapes, autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e também pela Fundação Certi – Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras.  A Fapes tem como atribuições a operacionalização do apoio institucional, financeiro e técnico a programas e projetos de promoção do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação às instituições públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação.

Confira os infográficos com as principais informações sobre as aprovadas:

 

 

 

Sem categoria 11.07.2017

Por Carlos Eduardo Bizzotto

A palavra “acelerar” nunca teve em tanta evidência. Tudo tem que ser feito “rápido”, desde programas de redução de peso até a criação de startups. Isso está em sintonia com as tecnologias existentes, que nos permite ter acesso rápido a conhecimentos, pessoas, lugares etc.

No caso do desenvolvimento de startups, parece que tudo que demore mais do que seis meses está fadado ao fracasso. Vamos avaliar isso a partir do exemplo da criação e desenvolvimento do Facebook.

Quando foi lançado, em 2004, o Facebook já tinha concorrentes bem posicionados como o Friendster (criado em 2002, captou US$ 53 milhões após 12 meses de lançamento) e o Myspace (criado em 2003 e recebeu US$ 46 milhões depois de 12 meses de operação).

Além de não ser o primeiro, o Facebook também não tinha uma proposta de valor única, ou seja, não trazia funcionalidades inéditas. A diferença com relação aos concorrentes foi na estratégia adotada para o crescimento.

Tanto o Myspace quanto o Friendster lançaram suas plataformas para o público geral, ou seja, focando no crescimento do número de usuários no menor tempo possível. Isso garantiu um volume de usuários bem expressivo para cada uma das plataformas, entretanto não evitou o sucesso e o domínio do mercado pelo Facebook.

A estratégia do Facebook foi diferente, pois a plataforma foi liberada em estágios, ou seja, inicialmente, somente os alunos de Harvard tinham acesso à plataforma. Depois, sucessivamente o acesso foi sendo liberado para outras universidades.

Assim, o Facebook levou um tempo maior para alcançar o mesmo número de usuários do Friendster e do Myspace. Entretanto, ao lançar a plataforma em estágios, o Facebook conseguiu validar algumas métricas que demonstravam engajamento dos usuários. Por exemplo, cerca de 75% dos estudantes de Harvard usavam o Facebook e mais da metade acessava a plataforma mais de uma vez por dia. Pesquisas da época observaram que 80% dos alunos das universidades americanas (depois de todos os lançamentos) acessavam o Facebook, sendo que 60% acessavam mais de uma vez por dia.

O que a história do Facebook nos ensina?

O que podemos aprender é que no início de uma startup, temos que compreender os motivos que promovem o engajamento dos usuários. Só após isso é que devemos escalar o negócio. Caso contrário, corremos o risco de escalar um negócio que não está validado! Assim, no início, devemos ir devagar, mas fazer isso em estágios rápidos.

Essa é uma das preocupações do programa Sinapse da Inovação, que disponibiliza cursos e orientações para que as startups participantes possam validar se estão desenvolvendo uma solução para um problema que vale a pena ser resolvido e se o modelo de negócios adotado é escalável.

Participar do Programa Sinapse é uma grande oportunidade para os empreendedores do Espírito Santo e reduz expressivamente o risco de empreender!

As inscrições para o Sinapse vão até 12 de julho de 2017.

Não perca o prazo. Venha fazer parte do nosso time de empreendedores.

 

Sem categoria 05.07.2017

Hoje (05), foi realizada a palestra de divulgação do Sinapse da Inovação na Escola Viva Linhares! Participaram do evento, que foi apresentado por Robson Grassi – representante da FAPES, cerca de 80 alunos da escola.

As inscrições estarão abertas até o dia 12 de julho, inscreva-se pelo site sinapsedainovacao.com.br/es.